• Julio Sa Rego

Terra Quente, Terra Fria: um quê de tradição da Terra Fria

E assim escrevo, querendo sentir a Natureza, nem sequer como um homem,

Mas como quem sente a Natureza, e mais nada.

(Alberto Caeiro, 1925, poema XLVI)



Obtive uma boleia na carrinha de uma associação de criadores de ovinos transmontanos em sua ronda periódica a explorações associadas. O destino do dia: explorações situadas no Parque Natural de Montesinho para colheita de sangue e aplicação de brincos de identificação. Lá estava eu, antropólogo curioso, encaixado entre dois engenheiros zootécnicos e uma veterinária. O trajeto de quase meia hora tinha tom de reunião de preparação onde se recapitulou as paragens do dia, se atualizou mutuamente sobre as notícias de cada exploração e se coordenou as funções de cada um na corriça. A minha parecia-me a mais simples: aplicar um questionário sobre as perspectivas econômicas e estratégicas do criador.


(continue lendo no Jornal a Gazeta Rural)