• Julio Sa Rego

A pastorícia em territórios de montanha em Portugal: tradição com futuro?


Apesar da ancestral tradição que a pastorícia tem em Portugal e da importância que assume nos territórios de montanha, tem se verificado uma redução no efetivo pecuário e no número de pastores ao longo dos tempos. A renovação geracional é residual e existem poucos jovens empreendedores que pretendam desenvolver a sua atividade profissional neste ramo, colocando em causa a sua sustentabilidade. O presente estudo tem como objetivo efetuar um diagnóstico à atividade pastoril em Portugal, identificando constrangimentos e potenciais estratégias de valorização, através da aplicação de metodologias participativas em seis territórios de montanha do país. Os resultados mostram que a desvalorização da atividade está muito relacionada com a perda de rentabilidade da pastorícia, com a ostracização social que existe relativamente aos pastores e com a falta de políticas de apoio que promovam a sustentabilidade da atividade pastoril e dos territórios de montanha.


Palavras chave: pastoreio; tradição; estratégias; valorização.


Pinto, R. A., Castro, M., Torres-Manso, F., e Sa Rego J. (2021). A pastorícia em territórios de montanha em Portugal: tradição com futuro?. In J. E. Rivera, L. Colcombet, R. Santos-Gally, E. Murgueitio, M. Díaz, R. M. Mauricio, P. Peri, e J. Chará (Eds.), Sistemas silvopastoriles: ganadería sostenible con arraigo e innovación (pp. 627-641). Colômbia: CIPAV. ISBN 978-958-9386-99-6.